quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

Curso: Ninhos armadilha para abelhas sem ferrão

De acordo com a Resolução CONAMA nº 346/2004:
"(...) Art 3º - É permitida a utilização e o comércio de abelhas e seus produtos, procedentes dos criadouros autorizados pelo órgão ambiental competente, na forma de meliponários, bem como a captura de colônias e espécimes a eles destinados por meio da utilização de ninhos-isca.
Art 4º - Será permitida a comercialização de colônias ou parte delas desde que sejam resultado de métodos de multiplicação artificial ou de captura por meio da utilização de ninhos-isca. (...)".

Dessa forma, a legislação Brasileira permite a obtenção de colônias de abelhas sem ferrão diretamente da natureza somente por meio de ninhos-armadilha. Os ninhos-armadilha ou garrafas-isca já são bastante utilizados por meliponicultores de todo o Brasil, no entanto os métodos empregados são muito diversos e muitas vezes sem comprovação de sucesso.
Os ninhos-armadilha são recipientes cuja finalidade é atrair enxames de abelhas sem ferrão para que ali instalem seus ninhos e seja possível seu transporte e transferência para caixas racionais. A ideia surgiu a partir de observações dos meliponicultores que viram que os enxames tendiam a entrar em caixas velhas que já haviam sido usadas por outra colônia. Abaixo segue um modelo usado no campus da USP de Ribeirão Preto, que obteve uma taxa de sucesso excelente (38 enxames em um ano). Obviamente, o sucesso vai depender das condições específicas de cada localidade, como abundância de ninhos naturais, competição com outros locais de nidificação, método de confecção dos ninhos-armadilha, regularidade das inspeções, cuidados gerias, etc.

Escolha do recipiente: Podem ser utilizados diversos tipos de materiais, como madeira, papelão, garrafas plásticas ou PET, caixinhas de leite. No nosso modelo utilizamos garrafas plásticas pretas. Caso sejam usados materiais transparentes, devem ser cobertos com jornal e/ou plástico escuro. No nosso estudo nós usamos garrafas de quatro tamanhos diferentes, mas percebemos que as garrafas de 2 e 3 litros foram melhores porque atraíram mais espécies.

Preparação dos recipientes: faça um furo circular na lateral do recipiente onde será instalado um cotovelo de PVC de 22 mm que servirá como entrada. Lembre-se de colocar virado para cima para evitar q entrada de água. Borrife extrato de própolis no seu interior e escorra o excesso. O própolis pode ser obtido a partir de meliponicultores e o ideal é que sejam utilizados própolis de diferentes espécies de abelhas sem ferrão.

O extrato pode ser feito com qualquer tipo de álcool. Faça um pequeno orifício de 1 cm no fundo do recipiente para escorrer o excesso de umidade.


Preparação do cotovelo de PVC: derreta cera de Apis melifera em Banho-Maria e mergulhe o cotovelo de PVC por alguns segundos. Posteriormente mergulhe o cotovelo de PVC no mesmo extrato de própolis usado no item anterior. A cera pode ser obtida em apiários.


Instalação dos ninhos-armadilha: pode ser instalado junto às árvores, em qualquer altura. Nós geralmente instalamos entre 1 e 1,5 metros do chão para facilitar as vistorias, mas não há regras bem estabelecidas. Também podem ser colocadas nas prateleiras dos meliponários, sob alpendres e varandas de casas, em postes, etc. O principal aspecto a ser observado é a incidência de sol, que jamais pode incidir diretamente sobre a armadilha, especialmente entre 10:00h e 15:00h. Não precisa ser muito perto de colônias pré-existentes, mas precisa ser em uma área onde ocorra grande quantidade de ninhos.


Dicas importantes: Inicialmente, o ideal é colocar poucos ninhos-armadilha e verificar as taxas de sucesso. Se o sucesso for bom, aumente o número posteriormente. Outra dica importante é colocar os ninhos-armadilha antes da época de reprodução das abelhas sem ferrão, geralmente nos períodos quentes e com bastante florada. Caso contrário as formigas e aranhas ocuparão os ninhos-armadilha antes dos enxames. Outra dica é fazer vistorias regulares, retirar as teias de aranha e ninhos de formigas que estiverem ali e borrifar novamente o extrato de própolis na porta do ninho-armadilha para renovar o cheiro.

Transferência dos enxames para caixas: Após a verificação de sucesso na instalação de um enxame no ninho-armadilha espere no mínimo 30 dias para realizar a transferência para o local definitivo. Esse período é suficiente para a independência do ninho mãe para muitas espécies. Durante a noite ou antes de amanhecer, feche o ninho-armadilha e leve-o, sem tombar o recipiente e sem dar pancadas, para o local definitivo, que deve ser maior que 300m para que as abelhas não voltem ao local de origem. Se o local definitivo for menor que 300 metros, leve para outro local distante e depois de 15 dias retorne para o local desejado. Espere ao menos três dias depois de transportada para o local definitivo para transferir a colônia do recipiente plástico para a caixa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário