quarta-feira, 16 de março de 2016

A cera de abelha era utilizada para preencher cavidades dentais milhares de anos atrás

Fonte: odonto espacio

04 de março de 2016

Evidência da odontologia pré-histórica tem sido limitada a poucos casos, o mais antigo deles remonta ao período neolítico. Foi encontrada uma mandíbula de 6500 anos de idade no qual observou-se na coroa de um dos caninos um material de enchimento com cera de abelha .

Diferentes métodos aplicados no estudo da amostra mostrou que o dente estava sob um trauma oclusal e apresentou uma fratura vertical, que foi selado com cera de abelha pouco antes do indivíduo morrer.

Se esta informação estiver correta, o procedimento foi realizado a fim de aliviar a dor causada pelos túbulos dentários expostos e à mastigação. Este seria o achado mais antigo em relação ao tratamento restaurador dental.

Imagem referencial dos "microlitos"

Ao longo dos anos tem havido muitas escavações, onde eles encontraram ossadas de seres humanos muito antigas. O crânio mais antigo descoberto até agora tem 14.000 anos de idade.

Durante estas investigações, é inevitável examinar os dentes encontrados. Pesquisadores descobriram em alguns deles, o que parece ser restaurações feitas por nossos ancestrais.

Muitas perguntas podem surgir diante desta evidência, como "com quais instrumentos eram preparadas as cavidades?" ou "com que material eram obturados?", tudo isso foi pouco a pouco sendo esclarecido ao passo que mais descobertas foram surgindo durante as escavações.

Imagem de mandíbula inferior mostrando restauração com cera de abelha

Nas primeiras sociedades de caçadores a incidência de cáries é de apenas 5% a 10%. No entanto, em sociedades assentadas e a base da agricultura, as cáries começam a aparecer em até 80% das pessoas. Este fato foi revelado em 1970 ante as evidências encontradas.
Ume explicação simples é a diferença na alimentação, mais rica em hidratos de carbono.

Da mesma forma foram descobertos nas escavações instrumentos de corte muito pequenos, os quais, segundo os especialistas, eram utilizados para realizar pequenos procedimentos nos dentes e remover os tecidos afetados. Estes instrumentos foram chamados de "microlitos" e funcionavam produzindo desgastes contínuos nos dentes afetados, procedimento que sem dúvida devia ser extremamente doloroso.

Imagem dental interna, mostrando restauração com cera de abelha

Para obturar as cavidades, os odontólogos primitivos se utilizavam do que os especialistas chamaram de "recheios paleolíticos" realizados com cera de abelha em alguns casos e com minerais moldáveis que funcionavam para preencher a cavidade feita.

Referências bibliográficas:
Bernardini F, Tuniz C, Coppa A, Mancini L, Dreossi D,Eichert D, Turco G, Biasotto M, Terrasi F, De Cesare N, Hua Q, Levchenko V. Beeswax as Dental Filling on a Neolithic Human Tooth. PLoS ONE. 2012;7(9):e44904

Autor: Journal Plos One - Fonte: Journal Plos One

Nenhum comentário:

Postar um comentário